sábado, 8 de novembro de 2008

O desbotar de um coração


Prestando atenção ao que a intuição dizia
Entendeu a tristeza que o coração sentia
Sua dor uma a uma foi absorvendo.
Percebendo as cores que foram desbotando

Perdendo o que antes tinha nitidez e vida
Adquirindo tons frios e presença tão vazia
Fruto de enganos, decepções e mágoas.
De farsas enfeitadas com mentiras descabidas

Palavras na garganta nasceram e morreram
Sentimentos no coração pulsaram e faleceram
Não existiam mais poesias, nem ao menos versos.
Já não havia mais retratos, somente estragos.

Teimosas lágrimas molhavam a face
Lavavam a alma de tantos disfarces
Vivendo sua dor como tinha que ser
Aprendendo e preparando para esquecer


Tatiana Moreira

8 comentários:

  1. Mais um belo poema amiga!

    Fim de semana de luz.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  2. hj tb me domina a triostez e adorava esquecer, melhor ainda, ter a dita máquina do tempo...mas é como dizes no final do poema, temos de aprender...
    fica bem!bjs grnds

    ResponderExcluir
  3. Que bom!
    lavando-se, limpando o coração, ela volta novinho, para de novo amar, amar, amar. Isso é lindo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Tatiana, belo poema... A D O R E I ... Beijinhos de carinho,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  5. O importante é que os momentos vividos foram intensos.
    Tornaram-se lágrimas ?
    Sim. Mas o poeta tem a capacidade de transformar a tristeza em um momento de rara beleza e poesia.
    Grande semana.
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Olá querida Tatiana, um belo começo de semana... Beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  7. Uma semana de gdes projetos para vc amiga!

    Bom dia.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  8. Olá Tatiana!
    Vim retribuir sua visita ao meu espaço, e encontro um outro muito lindo! Romântico e poético.
    Obrigada pela visita e obrigada por esse lindo blog.

    Um suave bater de asas da amiga das fadas e agora sua amiga também.

    ResponderExcluir

Fico feliz que você esteja aqui...