segunda-feira, 13 de maio de 2019

Livre...



Sou livre até mesmo quando eu me prendo

Mas, as surpresas da vida trazem desalento

Permanece na memória o que tenho apreço

Ironia do destino que me enlaça e desconheço



Nessa liberdade que me pego vivenciando

Torno livre quem eu necessito ter por perto

Quem sabe volte... Se achar que eu mereço

Ou mesmo se afaste... Assim eu o esqueço



Dou-lhe autonomia até mesmo antevendo

Que não acabará a raiz desse sentimento

Penso que só paixão traz tanto embaraço

Que no âmago da alma ocupa tanto espaço



Sou livre... Deixo livre... E estou sobrevivendo

Afasto do corpo o que carrego em pensamento

Desvio da mente o mundo que não pertenço

Força para esquecer. Ao meu coração, eu peço!



Tatiana Moreira